Post

Brasil é o 4º país que mais cresceu no setor de Energia solar em 2021.

País também subiu no ranking mundial, assumindo 13ª colocação de nações com maior capacidade instalada.

A fonte solar já acumula mais de R$ 78,5 bilhões de investimentos e mais de 450 mil empregos criados desde 2012.


O Brasil foi o 4º país no mundo que mais acrescentou capacidade solar fotovoltaica em 2021, com novos 5,7 GW no último ano, segundo dados atualizados pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Atualmente, a fonte solar está em 15 GW no Brasil. Este montante evitou a emissão de 20,8 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

Além disso, já acumula mais de R$ 78,5 bilhões de investimentos e mais de 450 mil empregos criados desde 2012.

O Brasil também subiu uma posição no ranking mundial da fonte solar, assumindo a 13ª colocação de nações com maior capacidade instalada da tecnologia fotovoltaica.

Os dados somam as grandes usinas solares com os sistemas de geração própria de energia em telhados, fachadas e pequenos terrenos e o ranking, apresentado neste mês de abril, traz como base a potência existente no final de 2021.

Contudo, a ANEEL aponta um aumento ainda maior da capacidade instalada em sistemas de geração própria de energia solar fotovoltaica acumulada até o final do ano passado.

De acordo com a Agência, o Brasil encerrou o ano de 2021 com mais de 13,6 GW de potência operacional da fonte solar. O ranking geral é liderado pela China, com 306 GW.

Para Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), a energia solar é rápida de instalar e ajuda a aliviar o bolso dos consumidores, reduzindo em até 90% seus gastos com energia elétrica e dando ênfase para as usinas.

“As usinas solares de grande porte geram eletricidade a preços até dez vezes menores do que as termelétricas fósseis emergenciais ou a energia elétrica importada de países vizinhos atualmente, duas das principais responsáveis pelo aumento tarifário sobre os consumidores”, disse Sauaia.

Para Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR, a fonte solar que o País tem condições de chegar ao TOP 10 no mundo.

“Se, por um lado, o Brasil está atrasado na fonte solar em comparação com outras renováveis, por outro lado, o avanço recente do mercado fotovoltaico mostra que ainda há oportunidades para quem quer trabalhar e empreender neste setor em nosso País”, concluiu Koloszuk.


fonte: CanalSolar.

  • Instagram Icon
  • Facebook
  • Linkedin
Fechar